Tag: outubro rosa

Outubro Rosa | O câncer de mama

Hoje termina o mês de Outubro… o mês do Outubro Rosa, uma iniciativa mundial da luta contra o câncer de mama. A Sabrina é embaixadora da Fundação Laço Rosa, contamos sobre o projeto nesse post. Para fechar o mês entrevistaremos o Dr Eduardo Vieira da Motta, especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia, médico do Hospital das Clínicas de São Paulo e Professor da faculdade de medicina da USP.

O câncer de mama é o que mais faz vítimas no Brasil, isso é bem assustador. É verdade que o diagnóstico precoce poderia alterar significativamente esse cenário?

Atualmente dispomos de ótimos tratamentos para o câncer de mama em qualquer fase. Quanto mais cedo for o diagnóstico, melhor será o resultado do tratamento e com menor quantidade de medicamentos. Desta forma, é importante procurar diagnosticar o câncer o mais precoce possível.

A partir de que idade as meninas devem começar a fazer o auto exame?

Não existe uma idade específica, porém é importante que a mulher aprenda desde menina a conhecer suas mamas, palpá-las, para poder auxiliar o médico a identificar modificações que podem ser importantes. É necessário salientar que as mulheres mais jovens, adolescentes, apresentam muitas modificações das mamas por efeitos dos ciclos menstruais. Estas modificações, como dor, áreas mais endurecidas, não devem causar apreensão e medo. Reconhecer que aparecem e desaparecem conforme o momento do ciclo menstrual ajuda a diminuir o receio da doença e permite que a mulher aprenda a reconhecer as modificações naturais de seu corpo. Quando houver dúvida, o médico poderá esclarecer melhor.

Como é a maneira certa de fazer? E a frequência?

Estes diagramas do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC) são bem ilustrativos.
Lembrem-se que a maioria dos achados é BENIGNA e devem ser analisados por seu médico.
Deve ser realizado, preferencialmente, após a menstruação, quando as mamas estão menos sensíveis ou inchadas.

No Chuveiro ou Deitada:

autoexame no chuveiro ou deitada
Coloque a mão direita atrás da cabeça. Deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda suavemente em movimentos circulares por toda mama direita. Repita o movimento utilizando a mão direta para examinar a mama esquerda.
Diante do Espelho:
autoexame de boca
Inspecione suas mamas com os braços abaixados ao longo do corpo
autoexame de boca
Levante os braços, colocando as mãos na cabeça. Observe se ocorre alguma mudança no contorno das mamas ou no bico.
autoexame de boca
Repita a observação, colocando as mãos na cintura e apertando-a. Observe se há qualquer alteração.
autoexame de boca
Finalmente, esprema o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção. A observação de alterações cutâneas ou no bico do seio, de nódulos ou espessamentos, e de secreções mamárias, não significa necessariamente a existência de câncer.

Fora o auto exame, qual outro exame as mulheres devem fazer e a partir de qual idade?

O principal exame para a detecção precoce é a mamografia. De maneira geral, deve-se iniciar aos 40 anos ou a critério do médico que realize o exame clínico. Esta idade varia conforme as características de cada população.
A partir dos diagnósticos da mamografia, ou conforme a avaliação do médico, outros exames podem ser realizados, como ultrassom e a ressonância magnética.

Sempre que encontramos um caroço ou alguma coisa diferente, é câncer?

É importante salientar que na maioria das vezes não é câncer. No entanto, o médico e, em especial, o mastologista devem ser consultados para avaliar outros possíveis diagnósticos.

É verdade que a amamentação diminui os riscos do câncer de mama?

As mulheres que gestaram e que amamentaram têm um risco reduzido para câncer de mama.

Existe alguma atitude preventiva para diminuir as chances da doença?

Existem dados que sugerem que a redução na ingesta de álcool, o controle da obesidade, a interrupção do tabagismo, e a prática de atividade física podem ajudar a reduzir a chance do câncer de mama e de outros cânceres.

Quem tem prótese nos seios tem mais dificuldade em fazer o auto exame? Ela pode atrapalhar o resultado de uma mamografia?

O auto-exame com prótese de mamas pode ser realizado da mesma maneira como citado previamente.
A mamografia também é feita da mesma forma, no entanto, poderá ser necessária a realização de um número maior de incidências (“chapas”) para que o exame seja adequado.

A Angelina Jolie tirou os seios de forma preventiva. Quem tem histórico de câncer de mama na família deve sempre considerar essa hipótese?

A história relacionada a ela é da presença de mutação genética para o desenvolvimento do câncer de mama e de outros. Quando isto ocorre, a retirada da glândula mamária (e do ovário) pode ser considerada a partir de determinada idade. É importante salientar que a maioria das pessoas que tem história de câncer na família não apresentam esta mutação e, portanto, não apresentam benefício na retirada das mamas. Existem critérios para fazer o exame genético. A consulta com o mastologista ou o geneticista oncológico pode ajudar nesta investigação e decisão.

Se detectado cedo, qual a chance de cura? E o que é “cedo” nesse caso?

Sempre é cedo para tratar e os resultados são cada vez melhores para todos os momentos da doença. Existem situações em que a sobrevida em 5 anos se aproxima de 100%.

OUTUBRO ROSA | RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA

A retirada do seio após um câncer de mama é desafiadora para qualquer mulher. Todas as mulheres que passam por isso podem reconstruir a mama?

Existem diversos tipos de cirurgia para o tratamento de um câncer de mama, desde a retirada apenas do tumor mais simples, o carcinoma in situ, até a retirada total da mama envolvendo pele e tecidos adjacentes, em muitos casos fazendo-se necessária até a retirada de tecido muscular e gânglios linfáticos da região.

O tipo de cirurgia é decidido pelo médico e sua extensão e tecidos envolvidos dependem do estágio em que se encontra o tumor, que pode variar desde um pequeno nódulo até casos mais avançados com comprometimento de pele, tecidos adjacentes e linfonodos que são os casos onde a cirurgia se torna mais radical, chegando a ser necessária a remoção das aréolas e mamilos.

É colocado uma prótese de silicone?

Para a reconstrução mamária também existem diversos tipos de técnica, porém nem todas requerem próteses, seu uso é frequente, mas não obrigatório. Nos casos de perda dos mamilos, a reconstrução é possível e em geral utilizamos enxertos de pele retirados da vagina.

A mulher perde completamente a sensibilidade depois do câncer e reconstrução?

Também depende do tipo de cirurgia realizada. Se a paciente é submetida a uma quadrantectomia (retirada parcial da mama), normalmente a sensibilidade será mantida. Nos casos mais avançados onde são necessárias grandes retiradas, seguramente haverá perda de sensibilidade.

Para quem já tem prótese, ela pode atrapalhar os exames de prevenção?

Esta é uma discussão que os americanos mantiveram por muitos anos, afirmando que as próteses mamárias prejudicavam os exames de ultrassom e mamografia dificultando o diagnóstico. Porém, após muitos anos de controvérsias, concluiu-se que não eram as próteses que comprometiam o diagnóstico e sim que tanto a ultrassonografia quanto a mamografia nem sempre são capazes de detectar um resultado conclusivo, sendo a margem de erro igual entre pacientes com ou sem próteses mamárias. Tanto que no Brasil nunca houve a proibição do uso como chegou a haver nos Estados Unidos.

Quanto tempo depois da retirada dos seios pode fazer a reconstrução?

Este tempo é muito relativo, dependendo do tipo de cirurgia que foi realizada, sendo muitas vezes possível a inclusão de próteses na mesma cirurgia em que é feita a retirada do tumor, cirurgia semelhante a realizada pela atriz Angelina Jolie, no caso dela feita como medida preventiva, opção da paciente diante de evidências concretas de propensão ao aparecimento de tumores malignos.

Uma dúvida sobre amamentação: dizem que a amamentação pode reduzir as chances de câncer de mama. Quem tem prótese de silicone consegue amamentar normalmente? E quem fez redução dos seios também?

A amamentação tem diversas vantagens tanto para a mãe quanto para os filhos, porém amamentar ou não, não tem influência no aparecimento de tumores

Quem deseja realizar a cirurgia para implantes mamários e tem a intenção de ter filhos e amamentar, não deve fazer a cirurgia pela incisão periareolar e sim pela axila ou pelo sulco submamário, nestas duas ultimas técnicas não há cortes no tecido mamário nem atrapalham a amamentação, pela aréola há risco de prejuízo na alimentação.

Pacientes que fazem cirurgia para redução das mamas, dependendo ta técnica, não têm problemas para a amamentação, apenas em casos de reduções muito grandes pode haver comprometimento, até impossibilitando a amamentação após a cirurgia.

Para saber mais sobre a causa do câncer de mama que a Sabrina apoia, clique aqui.